quinta-feira, 29 de abril de 2010

sou eu

Eu morgo fácil...
muito fácil...
é ligar e sentir que não teve festinha na voz e eu morgo..
desligo o telefone com ódio no coração, jogo longe e mando se foder.

Eu tenho vontade sair correndo várias vezes ao dia..
várias..
é chegar ao destino e saber que nada vai acontecer em mais um dia
é olhar ao redor e se sentir igual a bosta n'água

Eu pego abuso facim, facim...
e nem precisa de muito motivo!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

A louca.

A pessoa anda tão maluca, mas tão maluca que:
1. conta toda uma história, trabalhada no contexto de que leu num zine, lembra de todos os quadros, dos desenhos e etc e BINGO: não localiza a tal história no único zine que pasou os olhos na última semana..
2. vai dormir e dá continuação a um sonho enorme, de vários capítulos, que vem tendo durante alguns dias e acorda gargalhando! l-i-t-e-r-a-l-m-e-n-t-e gargalhando!
é...
tá difícil.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

ô Pedro...

São Pedro parece não ter pena
do povo pendurado nas alturas com suas casinhas de açúcar,
dos bichinhos nas ruas, sem nem um papelão pra proteger a cabeça...
Cada chuva grossa, dessas dos últimos dias, me faz olhar pela janela
contemplar a chuva nem sempre é doce.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Posso?

Tanta coisa mudando tanto...
Eu, principalmente..
Crise dos 30? pode até ser... mas não é aquelas bobeiras de não saber quem se é ou o que se quer..
É desejo de mudar; passar a tesoura do desejo nos cabelos da vida, virar o jogo, poder me lançar à novas histórias, mudar o paradigma, experimentar o que ainda vem pela frente, pular do abismo.
Eu sei quem sou e sei o que quero, na verdade uma lista imensa de quereres...
Sair de perto de um monte de gente que não contribui em nada, poder me juntar com outro tanto que me ensine alguma coisa que não sejam os exemplos do que eu nunca vou querer fazer na vida..
Conhecer outros lugares, cidades, costumes, além dos que já conheci..
Experimentar a solidão de morar sozinha, adotar o gato-selvagem do telhado, começar a estudar Tarot, passar dias vivendo de luz, ou de pipoca com café...
Ter menos compromissos, receber um salário que inclua serenidade, sorrisos e reconhecimento..
Conhecer mais cachoeiras, dormir mais ao relento, cheirar o vento que passa pelo mato...
Passar a tarde conversando com a brisa e a noite com a lua...
Contemplar.